Funcionamento

O Docker utiliza o esquema de LXC (Linux Containers) para rodar somente a parte que interessa do Guest OS e compartilhar parte dos recursos do kernel do sistema operacional Host.

Há quem diga que LXC é um tipo de virtualização, e outros mais ortodoxos dizem que não. O que interessa é que desse jeito subir um sistema é absurdamente rápido e leve.

O LXC permite que recursos, libs e configurações sejam “aprisionados” em um path e isolados através de namespaces e chroot que roda como um processo.

Com a ajuda do AuFS (sistema de arquivos em camadas e que gerencia recursos de rede também) o Docker funciona como uma camada sobre o LXC, praticamente uma API.

A conexão do mongodb com o python é realizada de uma maneira muito simples, como na maioria das linguagens, temos uma lib para facilitar o processo, no python temos a pymongo, para instalá-la basta:

O arduino é uma plataforma de prototipagem eletrônica que nos últimos anos vem ganhando muito espaço entre os entusiastas dos mais diversos segmentos. Simples e barato, desenvolver com arduino é um processo bastante prático e divertido, facilitando a inserção de qualquer leigo no mundo da programação e eletrônica. Seguindo essa idéia, por que não se utilizar do python, uma linguagem simples e tão divertida quanto o arduino, para controlar o mesmo? Sim, isso é possível.

Se você assim como eu é um desenvolvedor incansável quando o assunto é automatizar ao máximo seu workflow de trabalho, este post foi feito para você. O docker-compose utilizando-se do docker, torna a criação de ambientes de desenvolvimento algo muito simples.